quarta-feira, março 02, 2011

Penso!

Marmelos
Recordo a anedota de uma dona-de-casa que , ao tentar contratar uma cozinheira, pergunta inicialmente sobre suas pretensões salariais. A candidata logo demonstra a necessidade de uma informação básica: É com penso ou sem penso? pergunta ela. O que significava se ela escolheria o cardápio ou se o cardápio estaria a priori determinado.

Hoje amanheci com o dilema do penso. Estou na Bela União, longe de cidades, sem ter onde fazer compras imediatamente. Preciso usar o penso para fazer o almoço com o que tenho em casa. Sei,sim , que o ato de cozinhar é criativo, instigantes,desafiador .....mas todos os dias? Sem supermercado por perto? Sem planejamento preciso quando vou à cidade? E quando tenho projetos futuros bem mais interessantes ? Muito difícil.


Marmeleiro
Digito no blog, enquanto cuido um panelão de marmelada , aproveitando os muitos marmelos que colhemos ontem. Se me distrair , queima o doce e queima a panela antiga de estimação. No mesmo momento, cuido a hora para verificar o cozimento do feijão – o primeiro alimento que me ocorre fazer quando estou com o problema do penso. Junto a mim está Gifford, com um dog's toy na boca, querendo que eu vá brincar com ele. Preciso, ainda, ajeitar a casa e lavar algumas roupas. Muita coisa.
Até o meio dia, espero, tudo estará resolvido. Poderei, então, definir o roteiro de viagem que mostrarei ao Ronald hoje. Certamente, ele verá meu aspecto cansado e dirá para eu decidir tudo, conforme minha vontade. Ótimo.  Esse é um penso que  me agrada bastante  fazer.