quinta-feira, julho 29, 2010

Beijing (Pequim) II





















Cidade Proibida - assim chamada porque somente o imperador, a sua família e os seus empregados podiam nela entrar - é um conjunto de palácios ( século XV ) que ocupa 72 hectares, em pleno centro de Pequim. Era tão proibida que havia "execução sumária e dolorosa"para quem ousasse atravessar seus portões sem autorização. Servia de residência ao imperador terreno - representante do imperador supremo, que estava nos céus...e era um deus chinês naturalmente.Integra o Patrimônio Mundial da Humanidade desde 1987. Atualmente, do imenso conjunto que foi, restam - e estão muito bem recuperadas e preservadas - 980 construções .





















É também chamada de Palácio Imperial por terem ali vivido imperadores das Dinastias Ming e Qin, durante 600 anos.
Encantaram as denominações de partes da Cidade Proibida, como, por exemplo:
. Galeria da Harmonia Suprema;
. Palácio da Pureza Celestial;
. Palácio da Longevidade Tranquila;
. Porta da Grandeza Divina;
. Hall do Refinamento Mental;
. Porta das Façanhas Divinas;
. Galeria da Harmonia Preservada.






















A entrada principal é guardada por um casal de leões, tendo o macho uma bola ( mundo) sob a pata, e a fêmea, um filhote. Esses animais assustavam os "maus espíritos", impedindo-lhes a entrada na casa - como se vê ainda semelhanças em algumas construções, inclusive no Brasil. Nos tetos, conjunto de animais, associados a água, estavam ali para proteger o palácio de incêncios. Se falhassem, havia caldeirões de bronze (foto 2) , que juntavam água da chuva, para apagar incêndios se necessário fosse.



Embora o que mais tenha me impressionado na China tenha sido "O Exército de Terracotta", a Cidade Proibida precisa ser visitada, se possível mais de uma vez. A China precisa de muitas visitas por muito tempo para se chegar efetivamente a conhecê-la ...um pouco ao menos. Entendê-la mesmo,não sei se eu conseguiria.