quinta-feira, maio 27, 2010

Viagem à China I





















Amo a Europa, principalmente seus campo e suas pequenas cidades. A Ásia, entretanto, me fascina, razão por que tenho me concentrado nela nos últimos anos.Queria mesmo começar a conhecer a China, li bastante sobre esse imenso país. Construí um roteiro, a partir do óbvio, como sempre faço : a capital, as grandes cidades e os principais monumentos. Procurei, então, um “pacote” que contemplasse meu interesse. Encontrei um que deu conta da primeira parte da viagem. Na segunda parte, estaríamos com Jim, filho do Ronald, em Shenzhen.





















Começamos por Beijing ( ou Pequim como a chamam os cantoneses), visitando a Cidade Proibida com seu Palácio Imperial, o Museu do palácio , a Praça da Paz Celestial ( quem não se lembra dela,
em 1989, com um estudante enfrentando poderosos tanques? ) .





















Visitamos o Palácio de Verão, às margens do Lago Kuantan, onde se vê um belíssimo barco branco de mármore. Vimos a Grande Muralha e a tumba de um imperador. Comemos pato laqueado e assistimos a um Show de acrobacias. Fomos ao Templo do Céu (1420) e conhecemos o Ninho de Pássaro ( Estádio Nacional) e o Cubo de Água ( Centro de Natação). Participamos de um ritual do chá, aprendendo como fazê-lo e como saboreá-lo. Vimos abrir uma ostra e encontrar nela uma pérola. Fomos a bons restaurantes.






















A seguir , fomos para Xian. Há muito tempo, eu queria visitar essa cidade e ver o Exército de Terracotta. Tivemos um dia com esse Exército, considerado a 8ª. Maravilha do Mundo. Depois, visitas à Pagoda do Ganso Selvagem e à antiga Muralha de Xian.





















Nosso próximo destino, Guilin, que nos foi apresentada como uma pequena cidade de 700 mil habitantes (sic!) , região agrícola com seus arrozais e frutas variadas. O mais importante para mim, em Guilin, foi o cruzeiro de um dia sobre o Rio Li Jiang. Assistimos a um desfile de jóias com ênfase nas pérolas. Sobre o vôo hiperdivertido de Xian a Guilin, escreverei um outro texto.




















Em Hangzhou , passeamos de barco pelo Lago do Oeste e, seguindo um canal secundário, chegamos ao Canal Imperial ou Grande Canal. Fomos à Pagoda das Seis Harmonias e ao Templo da Alma Escondida. Vimos o Museu da Seda e passeamos por essa cidade, chamada Veneza do Oriente.





















Viajando de trem, fomos de Hangzhou a Suzhou, cidade famosa por seus lagos e jardins. Visitamos a cidade e estivemos algumas horas no Jardim do Administrador Humilde, que “reflete a simplicidade da Dinastia Ming”.





















Novamente de trem – um trem bem confortável - fomos de Suzhou para Shanghai, cidade fantástica, onde se havia inaugurado, há poucos dias , a Expo2010. Com 20 milhões de habitantes fixos e 5 milhões flutuantes , é a mais cosmopolita das cidades chinesas. Além de ver o Templo do Buda de Jade e o comovente Jadim Yuyuan, passamos um dia inteiro na Expo.




















Novo vôo que nos levou de Shanghai a Hong Kong, antiga colônia britânica, devolvida para a China em 1997. HK é bem diferente mesmo da China: não só pelo sistema político e moeda diversos. Ficamos três dias num hotel maravilhoso e com acesso à internet sem restrições!






















Nossa última visita com o “pacote” foi a Macau, antiga colônia portuguesa, devolvida à China em 1999. Bonita ilha, que tem nos Cassinos fantásticos e no turismo sua principal renda. Por sorte, em diferentes etapas da viagem, encontramos pessoas inteligentes, bem humoradas e solidárias , com quem compartilhamos momentos agradáveis. Um casal espanhol e um casal gaúcho tornaram-se inesquecíveis como boa gente. 






















Fim da primeira etapa. Fim do “pacote”. Por conta e risco, de trem , fomos para a vizinha Shenzhen, saindo, portanto, de Hong Kong e voltando à China Continental.
Foi uma viagem muito boa. Toda ela. Voltei, como sempre, com outra “listinha” de lugares que eu gostaria de visitar tanto na China, quanto no restante da Ásia.