segunda-feira, abril 05, 2010

Grande descoberta! Revolucionária!


Sempre sonhei com uma dieta milagrosa. Aconteceu comigo!
Em menos de 24 horas, deixei de ser a mais gorda da família. No máximo, posso ser chamada de gordinha!
Os tamanhos maiores, que eu costumava comprar no Brasil, aqui ficam imensos para mim. Peço sempre o maior número, só para experimentar e fazer novo pedido, com voz bem alta: por favor , tragam - me o mesmo modelo, mas dois ou três números menores. Os modelos me servem, e são floridos, de cores alegres - nada de ser somente preto/marrom/cinza/azul-marinho!
Quando me sirvo , num restaurante que tenha buffet, o número de calorias do meu prato é discreto e elegante! E ninguém presta mesmo atenção em mim ou no que eu como.
Em menos de 24 horas , fiquei quase magra! E apenas mudei de país! É mesmo a dieta dos meus sonhos.
(Please! Denis, minha amiga, vem para cá! Magérrima assim!Quase esquálida! )
PS. Milagres são efêmeros! Logo irei para a China! Mulheres miúdas, magrinhas, elegantes. Já decidi: vou me concentrar no Buda!
PS. Quando vivi na Slovakia, bastava chegar em Kosice para ser gorda! Terra de mulherada alta, esguia, corpo de bailarina ou ginasta! Eu percebia a injustiça genética quando frequentava uma confeitaria de doces bons e bonitos: eu comia uma porção discreta, e as magrelas comiam bem mais!
PS. Na Itália, gosto das cidades medievais, onde, normalmente, não se pode entrar de carro e chegar até elas é um esforço que consome muitas calorias. Na Bahia, escutei uma vez que "subir ladeira era escalar paredes". Assim é lá.
PS. Na Índia, as pessoas , além de magras, faziam, nos templos, movimentos de acrobatas e contorcionistas - e eu, "inveja pura", só olhando.
Vou ficar mesmo por aqui - quase magra e tomando café com pão e manteiga! Muito pão!