domingo, outubro 18, 2009

Pensando!




É domingo, domingo tranquilo, morno, bonito , véspera do aniversário do Mile, meu irmão - mais filho do que irmão.
No dia em que ele completou dois anos, meu pai morreu. Eu tinha, então, onze anos. Mile e eu sempre fomos muito próximos. Na verdade , sempre moramos juntos, ele na minha casa ou eu na casa dele.

Mile é uma das pessoas mais inteligentes que eu conheço. Além de inteligente, ele é sensível, perspicaz e naturalmente do bem. Eu poderia contar, durante dias e dias, histórias lindas dele. Merecia um livro. 

 Por que não escrevemos livros? Será pela cultura de sacralização da escrita? Será pelo medo da crítica que atingiria nossa vaidade? Ou simplesmente por preguiça, acomodação ou medo de abrir o "armário dos guardados"?

 Escrever é um ato de decisão somente. O que contar todas as pessoas têm. Basta pagar uma editora - são tantas e tão diversas - e nossos blocos de notas virarão livros. Pode ser apenas um volume! Ou um para cada filho. Belo exercício de memória. Bela recordação para nossas crianças. Sim! precisa-se de persistência, justamente o que me falta. Pedro e Massimo que me perdoem.