quarta-feira, setembro 02, 2009

Chicago I


Chicago ( Illinois ) é atualmente a terceira maior cidade dos Estados Unidos. Estende-se por quase 50 km ao Sudoeste do Lago Michigam. Injustamente, sempre relacionei Chicago a Al Capone e nada mais. Depois, ouvi de Patati e Gugu referências muito elogiosas a essa cidade. Como sempre faço, depois de saber que ia conhecê-la, procurei ler bastante sobre ela.
Foi a primeira vez que viajei de trem nos USA. De Champain , que tem seu nome grafado asssim mesmo, a Chicago, são 2h30min. Com trens bons, eficientes, baratos, mas com poucos turistas e sem o charme das estações e dos trens europeus. chega-se próximo ao centro da cidade - sem o transtorno de procurar estacionamento.
Hospedei-me no "Comfort Suites" , hotel com excelente relação custo/benefício e localizado na avenida principal , há uma quadra do consulado brasileiro ( GM.IL352@choicehoteis.com).
A cidade impressiona, já à primeira vista, pela arquitetura arrojada e pelos edifícios altíssimos. Vai-se, então, descobrindo por que Chicago é famosa como centro de inovação arquitetônica. Ali convivem estilos diversos - de elementos greco-romanos às grandes criações da "Escola de Chicago". Penso que Téssia e Brenner iriam gostar muito daqui.
A cidade sofreu um incêndio devastador em 1871. Um grupo de arquitetos remodelou-a posteriormente. Uma das partes mais afetadas pelo incêndio é onde está hoje a Avenida Michigan com seu trecho mais elegante, a Magnificent Mile. Nesse trecho, encontram-se muitos nomes conhecidos internacionalmente: Guess, Armani, Zara, Coach, Banana Republic e tantos outros. Numa parte dele, parece que se está em Milano, centro de moda, tantos pelas grifes quanto pelos preços altos.
É uma cidade bonita, clara, bem ajardinada, com parques e museus fantásticos, seja pela grandiosidade seja, pelo acervo, como é o caso Museu das Comunicações, bastante enfocado na história do rádio, o que me fez lembrar muito da minha amiga Aurea, assim como a Tribuna de Chicago me fez lembrar a Rosana.
Na próxima semana, voltarei a Chicago. Desta vez, quero ver o Instituto de Artes.
PS. Nesta última foto, uma passarela que me faltou coragem para encarar.