segunda-feira, julho 27, 2009

"Geada vestiu de noiva..."



Claro que já passei invernos em lugares muito mais frios que na Bela União. Eram , entretanto, lugares preparados para o frio. Nossas casas, aqui no Sul, são preparadas para outono e primavera! Faz alguns dias que "geada vestiu de noiva / os galhos da pitangueira"(1). E o frio faz-se acompanhar de tosse, febre, gripe normal, gripe de inverno, gripe suína! Revoltante! Meu corpo, nestes dias, é espaço de poder de uma gripe que nele se agarrou e não quer ir embora por nada deste mundo. Deveria chamar-se gripe senador.


Chega de lamúrias. Tive um belo fim de semana de aniversário, com agradáveis surpresas. Mile, Igor, Lilian , Gonçalo, Isadora, Clóvis, Rosana, Melina, Fábio e Renildo estavam aqui, no almoço que teve até bolo com velinhas. Ganhei muitos presentes - entre eles, um pijama de cetim da Margareth ,que foi feito por ela mesma e por suas companheiras de trabalho. Ganhei árvores e flores. Recebi cartas e cartões do Ron que chegaram justamente na manhã do dia 24, quando eu ainda estava em Alegrete. Recebi muitas mensagens e telefonemas ( Toinho, Téssia, Daudt e Maria não se manifestaram - sei que estão no exterior e espero que me tragam presentes!). Sei como é difícil me localizar , mas Maria Alzira, Rolando e outros maravilhosos amigos conseguiram. E os que esqueceram - como eu tantas vezes esqueço seus aniversários - têm o ano inteiro para redimir-se!
Hoje levantei-me às 7h30min , mas , como escreveu Fernando Pessoa,
"Tinha-me levantado cedo e tardava em preparar-me para existir."
Comecei a existir depois do café. Quando sair do computador, começarei a organizar minha bagagem. Hora de mover-me.
(1)Canção de Luís Coronel  e Marco Aurélio Vasconcellos