sexta-feira, abril 17, 2009

Pedro e eu





Pedro é filho da minha filha Fabiana. Tem 9 anos. É sensível, esperto e criança. Uma criança bem informada, atualizada ...mas uma criança. Talvez aí resida seu maior encanto. Gosto muito de conversar com ele. Amoroso, muito inteligente e bem educado. Um belo menino. Está visitando nossa Bela União. Como é curioso e observador, está atento a tudo que o rodeia. Brinca bastante com Gonçalo, filho de Ígor, meu sobrinho.
Encontrou os Legos da Infância de Gugu - encantou-se com os modelos antigos desse brinquedo. Sentiu falta dos bonecos e das armas, lamentavelmente os bonecos heróis e as armas agressivas de hoje. Vejo no Pedro de hoje a infância de sua mãe e de seus tios, a infância da Fabianinha e do Fernando, a passagem expressa da minha vida. Envelheço. Para não envelhecer, entretanto, só morrendo cedo . Deus me livre (bati na madeira três vezes). Estou muito bem aqui. Tenho saúde, amor à vida, ânsia de conhecimento e , o que é mais importante, senso de humor, pois, como escreveu Ludwig Wittgenstein:
Humor não é um estado de espírito, mas uma visão de mundo.