terça-feira, março 03, 2009

Egito II





















Tento escrever ordenadamente, mas não estou conseguindo. São tantas e tão diversas as imagens que não consigo estabelecer uma cronologia entre elas. Era assim também quando eu fazia o Cruzeiro sobre o Nilo. A cada instante , uma nova e belissima imagem sobrepunha-se à anterior ou às anteriores. Era demais.























Desde o momento em que cheguei a Assuã e à ilha onde está o Isis Island em que me hospedei, entendi uma frase que ouvi faz muitos anos: "O Egito é uma dádiva do Nilo". Sei agora que é verdade. O contraste entre as margens verdes do rio e o deserto muito próximo comove por várias razões, entre elas, a econômica e a estética. Contaram-me que, entre Luxor e Assuã, transitam, além das Felucas, embarcações tradicionais com suas velas brancas, mais de 300 barcos de turismo - plenos de gente do mundo inteiro. O Cruzeiro pelo Nilo é a forma melhor de acesso a muitos tesouros arqueológicos do Egito.




























Assuã é uma cidade simpática, antiga e toda fortificada. O comércio de rua, especialmente de especiárias exóticas, é bonito e muito colorido. A temperatura estava agradável - entre 22 e 25 graus - sendo este período o mais aconselhado para visitar a região. Conhecemos as histórias dessa cidade desde os anos 60, quando construíram a imensa represa "Assuã Alta" e fizeram o lago Nasser, com a decisão do então presidente Nasser e o apoio da Rússia - os dois presidentes haviam sido colegas de escola e amigos de longa data. Essa área pertencia ao povo núbio. Era sua terra natal desde antes dos tempos dos faraós. Acredita-se que 800 mil núbios foram reassentados em outras terras ou ficaram vivendo em Assuã. Por ser área militar, as fotografias são proibidas. As imagens,entretanto, ficaram claras na minha mente.























As visitas a Kom Ombo e Edfu valem uma viagem. Kom Ombo tem a particularidade de ser dedicado a dois deuses: a Sobek, o deus crocodilo, e a Hórus, o falcão. Foi construído no século 3 de nossa era. Está situado à beira do Nilo. Edfu é dedicado a Hórus, marido de Hathor, a deusa do prazer e do amor. Conta-se que esses deuses se visitavam anualmente, durante um mês - e esse era um mês de festa para toda a população. Bem sábios eles! Livravam-se do cotidiano.