quinta-feira, outubro 23, 2008

Retorno à UFSM


Amanda, minha querida amiga, convidou-me para falar aos alunos do Programa de Pós-Graduação em Letras, na Universidade Federal.

Fui direto da Bela União para Santa Maria. Hospedei-me no apartamento da Odete Bernardi, minha irmã , com quem amo conversar.

O programa do evento indicava uma conferência com o título: "Linguagem, História e Memória". Elaborei um texto bastante acadêmico. Quando entrei no espaço da UFSM, depois de dez anos, senti que o texto não sairia da minha bolsa. As palavras brotariam da emoção sentida.

Jovens mestrandos e doutorandos, bonitos, gentis, atentos, ali estavam - e eu os olhava com o carinho que tenho pelo meu passado. Quantas descobertas esses jovens farão. Quanta coisa mais do que eu sei , saberão quando tiverem minha idade. Desejo-lhes paixão pela pesquisa e pelo conhecimento, que descubram o prazer de ensinar e de aprender e que sejam generosos e acolhedores com seus alunos.

Emociono-me ao encontrar Eliana, agora professora e doutora, menina dedicada, determinada, corajosa e boa gente que recordo dentro da minha casa, minha aluna e amiga minha e de meus filhos. Controlo-me para não chorar ao ouvir um ex-aluno do Colégio Agrícola de Alegrete referir as lembranças boas que tem de mim.

Falo. Relembro fatos da minha vida na UFSM, como professora, como pesquisadora e como pró-reitora. Relembro fatos da minha infância. Ignoro qualquer roteiro. Escolho mal as histórias para contar ... poderia ter contado outras com mais conteúdo linguístico...mas a emoção fez suas escolhas.

Saio agradecida à Amanda , às professoras presentes, aos estudantes e ao Jandir ( querido!) , funcionário da UFSM. Faço a viagem de volta sozinha, chorando, rindo e cantando :

"Gracias a la vida,

que me ha dado tanto

Me ha dado la risa y me ha dado el llanto

Así yo distingo dicha de quebranto

Los dos materiales que forman mi canto ..."