sábado, julho 19, 2008

Chennay


Chenay, capital de Tamil Nadul, antiga Madras, é a quarta maior cidade da Índia. Interessante o fato de que Chennay não tem um “centro”, como normalmente têm as cidades. Tem sim distritos urbanos interligados por estradas, uma dessas estradas é Anna Salai, onde se localiza o hotel em que me hospedei. Perto do hotel , fiz compras numa cooperativa que vendo todo tipo de artesanato do Sul , por preço bem razoável.Lá eu comprei uma pequena fruteira, muito bonita, para a casa da Fabianinha e do Marcel.Gostei muito de visitar a ( gótica) Basílica de São Tomé, um dos doze apóstolos de Jesus Cristo. Conta-se que ele veio para a Índia logo depois da morte de Cristo e aqui viveu, difundindo o Evangelho e convertendo a população. Em 72, foi ferido mortalmente por uma lança, quando rezava no Pequeno Monte – hoje Monte de São Tomé. Morreu e foi enterrado numa pequena capela que ele havia construído e onde hoje é a Basílica. São Tomé é considerado o Apóstolo da Índia. Aqui, no Sul, encontrei muitas igrejas católicas, herança da colonização portuguesa , no século XVI. Tem ate uma " gruta", perto da Basilica, com Nossa Senhora de Fatima e as criancas portuguesas.




Chennay tem prédios de imponente beleza, como a Estação Central (de trens), a Universidade e os Correios.
 Alguns distritos são limpos e bem ajardinados, outros não.O trânsito, naturalmente, caótico. A comida , excelente. Tem reconhecida produção em cinema, com musicais e melodramas, e em dança , onde bailarinos criam uma forma de dança contemporânea com elementos do folclore indiano.
A Índia fica “incompleta”se a gente não conhecer o Sul – por acreditar nisso , estou aqui.