segunda-feira, junho 23, 2008

Ainda em Napoli / Temporada 2008





















Fiz um passeio bonito e interessante hoje. Saí cedo de Volmero para visitar primeiro as estações novas da linha 1 da Metropolitana (M). A primeira Estação – Vanvitelli - está muito perto do “meu” apartamento : três quadras pela via “pedonale”. Até a Praça Dante, final de linha e onde desço, são seis estações, com características arquitetônicas próprias, denominadas “la metroplitana dell’arte”.


Altar numa esquina de Napoli

























A idéia propagada é a de um museu descentrado, distribuído pelo espaço público, com obras de arte em contínua fruição com os usuários desse meio de transporte. Cada estação teve um arquiteto responsável e , em conseqüência disso, cada estação tem um projeto único e diferenciado. Depois de ver as estações da Metropolitana, revi “Spaccanapoli”, o verdadeiro “coração de Napoli”, como dizem os napolitanos. Sou encantada com as ruas estreitas, as praças e os monumentos desse lugar. Há uma rua com livrarias à direita e à esquerda, onde se podem encontrar livros com edições esgotadas e livros antigos e raros. Fico sempre muito tempo ali. Sou também apaixonada pela Via San Gregório Armeno, que neste período está tranqüilo, mas que eu já visitei no mês de novembro, quando tem ali uma multidão para ver e comprar figuras para os presépios de Natal.



          


















São muitas as igrejas, os palácios, as histórias e as particularidades de Spaccanapoli, incluindo os pequenos altares como esse que fotografei e que são comuns em Napoli ( acredito que o mais original é um para Maradona, ídolo até hoje aqui).    Para a mim, além disso, fica sempre a memória de um dialeto que me custa entender, de um colorido muito próprio em todos os lugares e do gosto de uma genuína pizza margherita.
PS. Algumas pessoas me perguntam sobre o problema do lixo em Napoli. Realmente há um grande problema, que vai muito além do recolhimento do lixo. Sei que é muito grave nos bairros pobres. Em Vomero, Mergellina e Posillipo, não se sente a gravidade dessa situação.