sexta-feira, abril 18, 2008

Sobre Goya, Modigliani, tulipas...


Hoje foi meu dia de museus de arte. Levantei cedo, tomei café e caminhei até o fim ( aliás , início) da Gran Via, onde entrei, à direita, no Paseo del Prado: lindo, com muitas flores! Entrei primeiro no Museu Thyssen - Bornemisza ( http://www.museothyssen.org/ ). Está ali, até 18 de maio próximo, a exposição de Amedeo Modigliani , denominada "Modigliani y suo tiempo." Bonita essa exposição. Bonito o lugar do Museu.




Continuando pelo Paseo, cheguei ao Museo del Prado ( http://www.museodelprado.es/ ). A esse eu volto sempre. Lembro-me do Gugu, ainda adolescente, quando veio comigo à Espanha pela primeira vez e ficou, durante dois dias, nesse Museu, encantado com o que via. Paguei 6 euros pelo ingresso. Almocei lá.
Visitei a exposição "Goya en tiempos de guerra". Profunda, impressionante e comovente. Depois de ver Goya, tomei um café para me recuperar bem e fui ver algumas obras que me encantam , como Lavanderas de La Varenne, de Martin Rico y Ortega; Las tres Gracias, de Rubens ( as três filhas de Zeus, que representam a simpatia, a delicadeza e a afabilidade. Gordas e lindas, exuberantes e sensuais, estavam a serviço de Afrodite , a Deusa do amor - nasci em época errada!); As Meninas de Velázquez; as obras de El Greco, Rafael e Tintoretto.
Voltei caminhando para chegar antes das 7h porque havia marcado com a filha de uma amiga para encontrá-la a essa hora, aqui no hotel.

No caminho, encantei-me com as tulipas e os amores-perfeitos. Encontrei esse "jardim vertical", com altura de um prédio de cinco ou mais andares. Fotografei-o porque é belíssimo e multicolorido.
Tanta coisa para ver em Madrid, mas vou dormir!
"Basta pensar em sentir
Para sentir em pensar.
Meu coração faz sorrir
Meu coração a chorar.
Depois de parar de andar,
Depois de ficar e ir,
Hei de ser quem vai chegar
Para ser quem quer partir."
Fernando Pessoa