quinta-feira, maio 03, 2007

Sobre a India






















" Levantei cedo hoje. Gugu jah havia saido para encontrar Fabricio, Krithika e criancas a beira do Ganges - e tomar chimarrao com a erva-mate que eu trouxe do RGS.... Desci para o restaurante do Hotel ainda meio dormindo. Pedi caf'e com leite, um tipo de pao indiano e algumas frutas...Noto um " ar estranho" no rosto do menino do Nepal que me atende... Entao " desperto" ... percebo que estava falando português ... ou italiano. Estava realmente cansada. Chegara a noite de Bodhgaya, onde passara dois dias.





























Uma viagem de trem na India cansa mesmo...Atravessar o saguao das estacoes ja eh um exercicio de forca, equilibrio e flexibilidade. Muita gente dormindo no chao...muitas familias, sob esteiras estendidas, comendo , conversando, sentadas ou deitadas...um " mar de gente" em toda a parte...mas um ambiente muito tranquilo e pacifico. A ausencia do medo de violencia supera qualquer desconforto. Eu me sinto muito bem aqui. Enquanto tomo cafe, jah bem acordada , rememoro a viagem a Bodhgaya, cidade onde Budha se iluminou , depois de sete anos de meditacao embaixo de uma arvore . Encontramos lah uma grande festa. Comemorava-se o dia do nascimento de Budha ( mais de 2500 anos). Profusao de flores, aromas e cores. Pessoas vindas de diferentes lugares, o que se pode perceber pelo modo de vestir-se e ornamentar-se principalmente.























Enquando passeavamos nos jardins do templo, uma familia indiana, vinda das montanhas segundo nos disseram , aproxima - se de mim e de Fabricio e , subito, um senhor fala que eh a primeira vez que ele e sua familia estao vendo pessoas " inglesas" ... e pedem que nos os abencoemos...Fabricio, que fala Indi, escuta-os atentamente e me diz o que fazer ( que mico!) . Eu e ele fizemos reverencias e estendemos , sobre cada uma das cinco pessoas , as nossas maos...essas pessoas se jogam no chao, tocam nossos pes, tocam o chao com a testa tres vezes e fazem muitos sinais...Quando eu penso que tudo havia terminado, o mesmo senhor explica ao Fabricio que , a seguir, era a nossa vez de sermos abencoados por eles ( supermico fotografado pelo Gugu). Imaginem eu deitada , tocando com a testa tres vezes no chao, e fazendo muitos gestos sem saber exatamente o significado do que fazia. Krithika eh indiana, Gugu estah muito bronzeado e usa roupas tradicionais daqui, parece que os olhos azuis meus e do Fabricio foram a origem da cena.





























Estivemos ainda, mais por sorte do que por informacoes, na inauguracao do belissimo Templo do Sry Lanka em Bodhgaya. Assistimos a uma danca tipica desse Pais. Linda. Tao tranquila que faria a danca gaucha do " Pezinho" parecer uma aula de aerobica.Normalmente me encantam as cores e os aromas daqui. Em Bodhgaya, esse encanto foi intensificado tanto na regiao dos Templos, quanto no Mosteiro onde nos hospedamos. Inesquecivel. Precisa-se de tempo para conhecer um pouco da India... depois de vinte dias , comeco a enxergar melhor, a ter o " olho mais limpo" para poder realmente ver. "

Varanasi, 3 de maio de 2007.