sexta-feira, maio 05, 2006

Minha família III

Gugu e nosso querido Padre Pedro Parcelli. Quantos trabalhos realizados juntos ! Quantas histórias temos para contar. Ele realmente fazia parte da nossa família na Bahia. Nós o amamos muito.


Tenho grandes amigos de quem não tenho fotografias. Preciso delas! Poti e Horto, padrinhos do Patati e amigos-irmãos, Cláudio e Gilca, Marietinha e Walter, Rolando e Jaquie, Antoninho e Bia, Ronaldo e Nica, Deborah, Maria Alzira, Gilson, Maria Antônia, Marina, Áurea, Regina, Soraia e Tonico, Misiara, Aninha, Lucia e Guiga,Raimundo, George, Oscar Lepikson, Sebastiao.... Sinto falta dessas fotos...porque sinto falta dessas pessoas.

Esta é a Odete, querida amiga minha , de meus filhos , irmãos , cunhada e sobrinhos. Detinha é inteligente, divertida, solidária, companheira de todas as horas. Gosto quando ela passa alguns dias conosco. Gosto do convívio com ela.


Oscar Brisolara , feliz na Grécia,com Cristina, é meu querido amigo há mais de 30 anos. Fomos colegas de Mestrado na PUC/RS, ainda nos amos 70. Pessoa sensível, amigo solidário, presença mesmo na ausência. Saudades dele e da Cris.


Nossos pais eram amigos. Na família deles, predominavam os meninos; na nossa, as meninas.Éramos os "guris do seu Araci"e as "gurias da dona Anália". Os "Amaral" e nós somos amigos de infância, amigos de toda a vida. Crescemos muito próximos, convivemos sempre que foi possível, em horas boas e ruins. Estão na minha família por afeto e por história. Nesta foto, representando os demais irmãos e sobrinhos, estão Airton e Vera, ladeados por seus quatro filhos.

Luís Ernesto Behares, meu querido irmão uruguaio.Sábio e generoso com o seu saber. Esteve conosco em bons e em maus momentos.Meus filhos o adoram.Eu tenho a certeza de contar sempre com ele.Nós o amamos muito.

Sobre a Neneca, impossível escrever uma frase: queria escrever um livro.Seria uma história de amizade sólida, de convívio solidário,de identidade de alma.Além disso, seria uma história para rir muito, porque sempre rimos muito de nós mesmas e do mundo.

Queridos! Brenner e Antonieta, amigos de muitos anos, de muita convivência,de muitos jantares e almoços"em família".Amigos solidários,sinceros.Seguramente eles me ajudaram a viver melhor em Santa Maria.Amo-os muito.
Franco é único: uma pessoa essencialmente do bem. Sensível, generoso, sábio - daquelas pessoas que sabem falar e calar na hora certa.Sei que posso sempre contar com ele.


Olho esta fotografia e penso que falta alguém aí: EU! Sinto uma falta imensa de vocês. Odilon e eu ríamos de nós e do mundo! Penso que o poeta que escreveu " o que dá pra rir/dá pra chorar/questão de hora e lugar..." se inspirou em nós - que optamos por rir na maioria das vezes, até em horas difíceis.Maria e Susana, duas mulheres como eu gostaria de ser: maravilhosas!
Daudt e Maria (no centro Pe.Chico), meus amigos-irmãos de todas as horas. Quantas histórias compartilhadas! Penso que eles nem sabem o quanto foram suporte na minha vida e na vida do Patati e do Gugu.Família mesmo.
Toinho querido! Falta a foto da Téssia! Só vou escrever mais quando ela estiver aqui!
Eu nunca poderia me referir a família, sem incluir Benetti.Benetti e a família dele. Saudades de todos... Saudades da Amélia, grande e querida amiga, exemplo de solidariedade e afeto.
Considero meus amigos como parte da minha família. Eles, de fato, constituem o que chamo de minha família "ampliada".Estiveram sempre comigo, ao longo de muitos anos, foram solidários em todas as horas da minha vida...horas boas e horas difíceis. Todos me viram rir e chorar. Fizemos a partilha das conversas espontâneas, das preocupações , das dores e das alegrias. Tenho vontade de fazer uma lista de todos eles...é o mínimo que poderia fazer.E, algumas vezes, já fiz essa lista - principalmente quando estou longe deles e aperta a saudade.Mas é muito extensa...felizmente! De cada um de meus amigos, eu lembro histórias comoventes,divertidas, inteligentes. Sou muito orgulhosa deles.Foram pessoas com quem aprendi muito, com quem fiz um profundo aprendizado que me tornou melhor e seguramente me fez mais realizada e feliz.Alguns estão muito longe e nem sei se sabem o quanto significam para mim e o quanto eu penso neles. Alguns me acompanham desde minha infância, adolescência, juventude, militância,trabalho...outros chegaram mais tarde, mas igualmente se incorporaram à minha história de vida. Deles recebi ajuda e apoio. Eu os amo muito.
Os filhos de meus amigos eu os relaciono entre meus sobrinhos...e os amo muito também. Lembro aqui de Simone, Maíra,Ricardo,Beto, Hélvio, Luciana, Gabriela, Rafaela, Adriana, Valéria,Viviana,Sérgio, Ricardo, Daniel, Lucas, Júnior, Melina,Larissa, Thaís, Daniela,Mariane, Oscarzinho,Naiara,Naiane, Eleonora, Cristiane, Sandy, Viki, Ayka, Bari, Mion, Geórgia,Letícia, Luciane,Maurício, Pablo, Nina e outros de quem tanto gosto.
Um beijo , com muito afeto , a todos. Salvador,maio de 2006.

Marco é gêmeo com Nicole. São filhos de Marica e Gianluca. Eu os conheci pequenos ainda na Bahia.Hoje vivem em Bergamo e constituem um encanto de família. "Zia Dema", como eles me chamam, já os visitou lá - e pretende visitá-los sempre.
Afrânio é um grande amigo, tanto meu quanto de meus filhos..Muito importante como família foram também Domingos, o pai de Afrânio, e Tio Atilio - hoje presentes na minha memória e saudade.

Rosana e Cassiano! Além amigos-irmãos, são " companheiros" de muitas empreitadas. Representam aqui aqueles colegas de trabalho que passam a ser " da família".

Edmea é uma grande amiga, dessas que se faz presença até nas ausências.Meus filhos também gostam muito dela.Sentimos saudades!É a mãe do Betinho, Hélvio e Alexandre - maravilhosos meninos.
Beto e Nanda são meus sobrinhos mimosos. Eles são afetivos, solidários,amorosos. Estamos esperando agora a chegada de Robertinho.
Rosane tem muitos anos de convivência comigo. Sabemos poder contar sempre uma com a outra. Sei também que meus filhos contam com ela, com seu apoio e solidariedade.
Letícia é minha afilhada.Ela mora em "Quebra Facão" , sertão da Bahia,perto de Senhor do Bonfim. Eu fiz o enxoval de bebê para esperá-la.Hoje ela está já com 4 anos. É esperta e doce.


Não posso relacionar minha família ampliada sem incluir Ramón - o padre espanhol mais "sertanejo" que eu conheci. Foi o meu grande amigo na Bahia, o meu apoio nos momentos de crise ou de tristeza - a concretização da palavra partilha.

Pensando em família, penso em Daudt e Maria - o que faz com que Simone seja uma sobrinha muito especial. Aqui, grávida de Júlia, que está hoje com 10 dias.

Cada fotografia, uma história. O menino macuxi, de Roraima, me lembra todas as crianças das diferentes etnias com quem convivi, durante 18 anos de trabalho com educação indígena.
A Melina, minha afilhada. Ela me recorda o carinho imenso que tenho pelos meus afilhados e afilhadas, alguns de lugares distantes, que infelizmente eu não mais os vi.
Gisela, assim como Alex, são meus amigos-irmãos gregos. Eles me dão a certeza de que a distância não diminui o afeto.
Se coincidências são feitos dos anjos, foi muito sensível o Anjo que colocou Cláudio, Claudinha e Gi eFlávio no meu caminho. Eles são meus sobrinhos a quem eu quero muito.Representam o afetivo encontro com pessoas muito especiais.
Tenho um irmão " de verdade" , desses que a gente nunca esquece e que , mesmo a distância, sabe que conta sempre com ele: José Romeu Oviedo, uma das pessoas mais íntegras que conheci. Amo muito a ele, a Sandra e as " crianças". Representando esta família, sua filha e neto.
Sílvio e Vera são amigos-irmãos sempre presentes.Faz muito tempo que integram a minha família. Não consigo imaginar uma festa ( ou um problema!) sem que eles estejam por perto. Sinto muita saudade deles.