sábado, abril 29, 2006

Faz 01 ano... 2005 - Europa!

Gosto muito de Kavala, a cidade grega que está na foto acima.O fotógrafo foi Alex, marido de Gisela, meus queridos amigos gregos, que moram em Krioneri, perto daqui.

Há cidades lindas, perfeitas, mas que não fazem "disparar"meu coração.Estou no trem , partindo de Munique para Verona.Faz muitos anos que divido as cidades entre as que desejo voltar e as que ficaram "prontas"com uma visita. Assim é Munique. Linda, mas não preciso voltar.Ao contrário de Munique, vou sempre a Verona.Não consigo sair da região sem estar ao menos um dia ali.E não é por nenhum Romeu é pela cidade mesmo. Há muitos anos, eu me hospedo no mesmo hotel.E logo que chego , faço sempre o mesmo caminho e as mesmas paradas - conheço os bares que têm o melhor café e os melhores espaços. Converso sobre futebol com o proprietário de uma pizzaria, com a convicção de quem entende o sentido de tantos homens correrem atrás de uma bola - e dois deles ficarem sofrendo com medo de que ela entre naquele espaço sagrado onde há uma rede.

A foto acima é de Positano,na Costa Amalfitana. Toda a Costa é linda...mas Positano é muito especial! Fiquei hospedada em Maiori, no Hotel San Francesco.

Munique, Praga, Kosice,Grécia - casaco eu só tinha esse!
Reedito aqui dois textos meus que minha amiga Rosana publicou em:http://www.agenciacentralsul.org/ durante minhas férias de 2005.

O fascínio da Grécia
Sempre falei para meus filhos e meus alunos que o mundo é redondo, bonito e fácil de andar.Sou "andarilha" por natureza! Quando eu morava em Alegrete, gostava de ir freqüentemente a Rivera, Uruguaiana, São Francisco de Assis...Quando morava em Santa Maria, gostava de ir a Itaara, Silveira Martins, Jaguari...
Importa muito o "gosto de andar", o encanto de ver cada lugar com suas especificidades, sem jamais comparar. Comparações limitam o olhar!











Voltei hoje de Tessaloniki, segunda maior cidade da Grécia, com um milhão de habitantes. A cidade é bem bonita e tem o nome da meia-irmã de Alexandre, o Grande.Antes, estive uma semana em Kavala e região. Adorei Kavala...com mar e montanhas por todo o lado. Encantei-me com Lídia e Phillippi, a 12 km de Krioneri, onde eu estava hospedada.Por uma dessas associações por similitude emocional, quando vi a simplicidade de Lídia, onde o Apóstolo Paulo de Tarso teria feito seu primeiro Sermão sobre o Cristianismo, lembrei-me de quando vi, no Peru, a Nascente de nosso Rio Amazonas e tive vontade de chorar e de abraçar aquele riozinho, porque o via como o " baby" do grande rio que me envolve e impressiona no Norte do Brasil. Via agora Lídia pequena e queria abraçá-la também...pois pensava na extensão do Cristianismo no mundo hoje.
Emocionante também foi estar em Phillippi, onde os seguidores de São Paulo ergueram com ele a Primeira Catedral.Perseguido, Paulo foi para Tessaloniki, onde escreveu suas Cartas àqueles cristãos que continuavam a erguer catedrais próximas umas das outras. Ergueram ali quatro catedrais.A estética do local, grandioso e imponente, é impressionante. Emocionei-me com a delicadeza dos detalhes executados em pedras imensas, como flores e folhas. Gisela, minha amiga grega, me diz que são verdadeiros "poemas em pedra".
Gerações e gerações de arqueólogos ali pesquisam e trabalham, como muitos o fazem agora. O local onde Brutus fez aquela " brutalidade" e ouviu o " Até tu.." , está com o trabalho bem adiantado. No teatro, ocorrem anualmente ciclos de apresentações principalmente de tragédias e comédias gregas.
Vendo-se tudo isso, fica fácil, mesmo para quem não é de "Áreas Afins", entender os versos de Horácio, referindo-se à influência dos gregos sofrida pelos romanos:" A Grécia vencida subjugou o feroz vencedor com a fascinação de sua arte".
Essa arte certamente está na raiz de muitas de nossas preferências e de nossos " olhares sensíveis".PS. A Grécia tem ainda centenas de ilhas, um mar belíssimo, um povo alegre e deve ser o mais barato país da UE. Pensem! Viajar é questão de prioridade e decisão...depois vem tempo e tudo mai$$$...Kosice, novembro de 2005.

A insustentável leveza de Praga

Se você leu " Metamorfose " e " A Insustentável Leveza do Ser" , está na hora de vir a Praga. Outras expressões, como "Primavera de Praga" e " Revolução de Veludo", podem tê-lo levado a lembrar, pensar e ler sobre esta cidade e, conseqüentemente, desejar vê-la. E se já a viu, voltará...Dá saudades.
Praga tem sua origem num Castelo, erguido sobre uma colina, vizinho a uma curva do Rio Vltava, ainda no século IX. Nos arredores do Castelo, surge o "povoado", elevado à categoria de cidade em 1234. No século XIV, Carlos IV constrói a Universidade de Praga, a mais antiga da Centro-Europa, que deve ter sido " o sucesso da temporada", também pelos muitos estudantes estrangeiros que vieram para cá. Já li que " Praga é Paris que se esqueceu de crescer", e penso : ainda bem...está de bom tamanho assim.
Faz três dias que estou aqui. Apesar dos cinco graus negativos, caminho uns 10 km por dia - e não é a primeira vez que venho a Praga. Caminho mesmo. Não uso metrô. Ando devagar. Prefiro me encantar e surpreender a cada momento. Prefiro me emocionar com as minhas descobertas e com a beleza do que descubro .
Quando passeio pela rua Parizska, por exemplo, que serviu de cenário à Metamorfose, olho para os cantos à procura de uma barata imensa! Depois penso na genialidade de Kafka e, em sua homenagem, caminho pelos lugares onde ele viveu e vou ao café que contam que era o seu preferido. Só não fui ao Cemitério Judaico, em Zizkov, onde ele está enterrado, porque considerei "tietagem exagerada"...
Caminhando, observo detalhes interessantes tanto na arquitetura quanto no comportamento dos visitantes. Eles, em geral, não portam pacotes imensos de compras... (os "dos pacotes" devem estar em outros países...) Portam sim máquinas fotográficas, filmadoras e , assim como eu, portam olhares deslumbrados.
Conheco bem a Slovakia, tanto a capital quanto o interior, e admiro a tranqüilidade e sabedoria (históricas) com que, quatro anos depois do fim do comunismo, a então Checoeslovakia se dividiu em República Checa e República Slovakia, numa pacífica e decidida mesa de negociação. Não percebo ressentimentos. Eram diferentes, inclusive no dialeto usado. Não foi difícil. E a República Checa ficou com Praga.
Bratislava não tem a imponência de Praga, mas é simpatica, tranqüila, agradável e tem o Danúbio que a envolve e embeleza; tem belíssimos castelos e teatros; tem o povo mais gentil que eu conheço...Cuidem! Posso estar sendo tendenciosa...Amo a Slovakia!
Parece-me muito interessante conversar, com pessoas de ambos países, sobre os " heróis da guerra" e os " heróis da paz". Os anos de silêncio fizeram brotar retratos, como o de John Lennon - e mesmo os muito jovens ainda falam nele. Considere-se, entretanto, que a apoteose da Revolução de Veludo é recente (1989). Em geral, escuto análises respeitosas e tranqüilas, sem os passionalismos que marcam os discursos persuasórios - exceção feita àqueles que perderam o centro do poder.
Saio daqui olhando pra trás...querendo voltar. Como um dos personagens de A Insustentável Leveza do Ser , experimento em Praga o "sentido da beleza que liberta da angústia e traz o renovado desejo de viver".
Praga, 2005.
Reproduzo , a seguir, algumas mensagens que enviei porque traduzem vivências e emoções que provavelmente agora eu não teria como recordá-las tão nitidamente.
"Afetos meus"
Estou hoje em Positano , na Costa Amalfitana.Belíssima! Viajo amanhã para Napoli.Ontem, em Maiori, à noite, acompanhei a Procissão de Nossa Senhora, até o Santuário,onde,segundo contam , em 1494, houve um milagre.Apagaram as luzes de toda a cidade e tochas acesas indicavam o caminho a ser percorrido. Os " fiéis" também portavam tochas.Por onde a Imagem passava, as pessoas jogavam, de sacadas e janelas, pétalas de rosa.As ruas ficavam cobertas de pétalas.Uma banda tocava músicas lindas e houve, ainda, um espetáculo de fogos de artifício, com duracao de 1h...o mais bonito que vi na minha vida.Enquanto levavam a Imagem pelas escadarias IMENSAS, a população aplaudia, os sinos de todas as igrejas badalavam,e as luzes eram novamente acesas na cidade...Muita gente chorava, inclusive eu....Fiz toda a caminhada lembrando das pessoas de quem eu gosto e fazendo mil pedidos que iam de saúde para toda a minha familia, incluindo meus amigos queridos, até que Lúcia e Raimundo terminassem suas teses, Nainha entrasse no Mestrado, Estelinha estivesse bem, Claudinha gostasse do próximo curso,Pedro fosse bem na Escola, Fernando se desse conta de que precisa estudar... uma relação imensa de pedidos...acrescentando sempre que o pedido fosse atendido se fosse para o bem-estar de quem eu pedia ( tenho medo de antimilagres!) Lembrei-me também de pessoas q continuam a existir na minha memòria e saudade (minha mãe, Renam, Tabajara Brites, Antonieta, Araceli,Jorge Alberto, Nelci Pedroso,Domingos, Tio Atílio, Carioca,Machado...). Na verdade, repassei minha vida, meus afetos, meus medos, minhas alegrias. Também agradeci por estar em Maiori, no justo dia dessa Festa de tantos sons, cores,luzes e vozes diversas.Tudo isso com mar iluminado pela lua...Terminou meu tempo no cyber café.Dêem notícias por favor.Amo vocês.Beijos Aldema

Pessoas queridas minhas

Amanheceu chovendo em Innsbruck. Faz três dias que a temperatura vem baixando.Pus minhas blusas de verão no fundo da mala e joguei fora minhas sandálias. (...)Ontem passei o dia em Seefeldt - um lugar belíssimo, que lembra um pouco Gramado.
Depois de amanhã cedo, vou a Viena e, de lá, para Bratislava.
País tranqüilo a Áustria. Tem uma excelente educação pública em todos os níveis. Nesta região, muita gente fala italiano.Me sinto " em casa". E a beleza das montanhas e do verde do Tirol emociona qualquer um.A quantidade e variedade de flores idem.
Aqui se come a melhor salsicha com mostarda e batata frita.Perto do hotel ( de 1465, onde se hospedava Mozart quando ia à Italia) tem um Café Saccher ...aquele da Saccher Torte..." Almocei" um pedaço imenso!
Bom que muitos de vocês me mandam notícias.Fico feliz quando as recebo.
Beijos.Aldema
Queridos e queridas minhas

Estou bem.Sou alimentada pelo ânimo e encantamento face às coisas lindas que vejo...e pelos doces que, no Leste Europeu, são impossíveis de resistir...baratos, bonitos na aparência e inesquecíveis no sabor.
Estou em BRNO (assim mesmo que se escreve), segunda maior cidade da República Checa. Não tem o tamanho e a " beleza concentrada" de Praga, mas é muito interessante de se conhecer.E se nao tivesse só a arquitetura que encanta, teria ainda assim os parques - belíssimos no outono ( tens razão , querido Zé Albertino, " às vezes Deus exagera"). O chão, coberto de folhas; as árvores vão do vermelho bem escuro ao amarelo bem claro, num contraste com os ciprestes que vão do verde escuro ao verde-claro prateado.Tenho certeza de que muitos e muitas de vocês, como Alda, Cleuza,Rosana... se emocionariam com este quadro...
Estou agora na internet, exausta de andar quilômetros...incluindo subir e descer a colina do Castelo Spilberk. Olho as minhas pernas e já nao pergunto se têm celulite, pergunto se podem me levar até onde quero ir....coisas da idade...melhor do que morrer jovem... como dizia meu sábio amigo-irmão Benetti. Lembro de um texto de L.F. Veríssimo onde ele escreveu que sabia que essa história de fazer aniversário todos os anos , nao ia dar certo.Pontual observação...comigo deu errado...tenho mais idade do que " juizo".
Volto amanhã para Kosice. Gosto de " morar " lá. Gosto da Slovacchia. Antes de vir a Brno, passei dois dias na casa de uns amigos, vizinha a um bosque lindo de montanha, à margem de um riozinho que desce com água cristalina e som quase musical e separa, come se uma ruazinha fosse, as casas típicas dessa regiao. A temperatura ali , no inverno, chega a menos 30 graus. Fui com minha amiga a uma loja de roupas de " segunda mão" .Essas lojas sao muitas na Hungria,Polônia, Rep Checa e Slovacchia. Ela compra roupas para Vick e Sandy (2 e 6 anos) ali e me fala que roupas e sapatos infantis deixam de servir em pouco tempo e que é gasto inútil comprá-las novas. ZZ e Alda, lembrei-me de nossos troca-troca quando tínhamos filhos pequenos.
Não comprei nada aqui.Os cristais da Boêmia são lindos e custam pouco...mas freqüentemente tenho vontade de " deletar" minha bagagem, que é pequena, mas pesa!!!
Estou fazendo passeios lindos desses que, logo depois, tenho vontade de me transferir imediatamente lá para fora, no interior de Rosário do Sul, e ficar um tempo sedimentando imagens e sons, para que, integralmente, permanecam na minha memória.
Sinto saudades de todos vocês. Semana passada, quando soube da morte do meu querido amigo Tavares (Aracaju), chorei de saudades dele e de medo de perder mais alguém...BATI TRES VEZES NA MADEIRA...
Quero-os todos com saúde,paz e alegria de viver.Amo-os muito.Beijos
Aldema
Meus afetos
Estou em Budapest.Tenho feito passeios lindos , mas ontem foi meu dia de 'roubadas'....Ainda na Bahia, li muito sobre os lugares que pretendia visitar.Li - e anotei - que Esztergom era uma cidade muito interessante.Cedo, peguei o Metrô e fui a Nyugati Pályudvar ( esse segundo palavrão quer dizer estação).Um trem estava de partida para Esztergom.Comprei passagem correndo ...( Gugu fala que sou curiosa- desejo sempre saber o que há dobrando a esquina,do outro lado do muro, colina, montanha ou moita...e vou atrás...) Me fui toda feliz...Durante 1h30min , pude ver os campos da Hungria, que são bonitos, mas , nenhuma Toscana!!!Chegando , comecaram as desilusões: a estação era longe do centro e havia uma placa, com data de 1996, comemorativa aos 100 anos da cidade! Muito nova! O primeiro escudo de Kosice como cidade data de 1369. Segui. Por mais de 2 km, as placas que indicavam CENTRUM....e elas terminaram sem que nada mudasse....Fui até a margem do Danúbio - a mais feia das margens desse rio de que gosto tanto...vi uma igreja bem bonita...e voltei....sem me encantar com mais nada....
Penso que todos nos conhecemos um tipo de pessoa " liquida prazer" - se o assunto é literatura, indica um livro esgotado que só ela leu; se é cinema, um filme de arte, raro, que poucos viram; se é viagem , fala do lugar que ninguém foi....O miserável que disse ser Esztergom uma maravilha ou pensou que ninguém ia conferir ou tem um romance lá....daqueles que faz de qualquer lugar um paraíso....Cheguei a Budapest ao final da tarde gripada, cansada, com frio e P da cara!
Agora, já calminha, recordo que, tb seguindo indicações, conheci lugares lindos,como Seefeldt, Brno, Zilina...
Amanha viajo para a Grécia, num Foker 100 da Malev Ungarian Airlines.De Budapest a Thessaloniki , 1h30min....Será que chego??? Vou precisar de um Vallium 10!
Dêem noticias,por favor.Beijos
Aldema
PS. Registro para fazer justiça: o vôo pela MALEV UNGARIAN AIRLINES foi excelente. O Foker 100 é mais cômodo que muitas aeronaves que fazem vôos internacionais.O serviço de bordo é de "primeira classe"....Maravilhoso! E a passagem superbarata!Já estudei outros roteiros para fazer em 2006, pela MALEV.
Estive em algumas cidades que me encantaram, como: Zilina e Poprad na Slovacchia.Que lindinhas! Estive em Munique - é uma bela cidade e fico contente de tê-la visitado. Assim não preciso voltar lá! Cidades são como pessoas: não sabemos a razão por que algumas se tornam especiais ...